Background Image
Logo do GPOI

Grupo Paulista de Oncologia Integrada: Quimioterapia, Imunoterapia e Terapias Alvo

 

INFORME-SE

UMA VISÃO INTEGRADA DA ONCOLOGIA

O Grupo Paulista de Oncologia Integrada já tem em seu nome a visão de oferecer a seus pacientes todos os tratamentos e procedimentos necessários ao combate do câncer.

Além dos mais modernos e eficazes tratamentos da doença o GPOI oferece também terapias e serviços de apoio, como nutrição e psicologia, buscando além da cura o maior bem estar possível do paciente e seus familiares ao longo do processo.

Vida - objetivo do GPOI
VIDA

Preservar e proteger a a vida. Prolongar a vida com a melhor qualidade possível.

O GPOI entrega carinho aos pacientes
ACOLHIMENTO

Mais que tratamentos e procedimentos, entregar acolhimento e cuidado.

GPOI entrega ciência ao pacientes
CIÊNCIA

Colocar os últimos avanços da ciência e da tecnologia a favor da vida e saúde .

image
INFORMAÇÃO

Fornecer a informação necessária e suficiente para as melhores decisões.

INFORME-SE

Julho 2018

Doe Sangue

Barriga e cigarro

A doação de sangue pode ajudar muitas pessoas, entre elas os pacientes de câncer

O sangue é um fluído vital para todas as pessoas e, em muitas situações de doenças, ferimentos ou cirurgias, o paciente precisa receber sangue ou algum de seus componentes, para poder sobreviver ou se recuperar.

Infelizmente a ciência, apesar de muitos esforços nessa direção, não conseguiu ainda criar um substituto artificial para o sangue. O ato solidário e generoso de pessoas saudáveis doarem parte de seu sangue para as que precisem é a única forma de salvar essas vidas.

Sangue e o câncer
Em particular os pacientes de câncer podem precisar de receber de doadores sangue ou seus derivados, em várias situações associadas à doença:

Anemia: é uma condição onde o sangue apresenta baixo nível de glóbulos vermelhos (os componentes do sangue responsáveis pelo transporte de oxigênio às células). Pode ser provocada pelo próprio câncer ou pelo tratamento, como algumas quimioterapias ou radioterapias. A anemia pode em alguns casos ser combatida com o uso de remédios ou com alimentação e ou suplementos alimentares, mas dependendo da gravidade, a critério do médico, em muitos casos são necessárias transfusões de sangue, para repor o nível de glóbulos vermelhos necessários ao bom funcionamento do organismo..

Problemas de sangramento / cicatrização: Alguns cânceres e alguns tratamentos podem provocar a diminuição dos fatores de coagulação do sangue, em particular a diminuição das plaquetas, células do sangue especializadas no bloqueio de veias ou artérias rompidas. A consequência são sangramentos maiores ou mais demorados, em casos de ferimentos, cirurgias ou outros casos de rompimentos de veias ou artérias. Os problemas de sangramento excessivo podem ser combatidos com remédios ou suplementos, mas em muitos casos, a critério do médico são necessárias transfusões de sangue ou de plaquetas (apenas as plaquetas são separadas a partir do sangue do doador e injetadas no paciente).

Cirurgias: muitos tumores precisam ser retirados cirurgicamente. Dependendo do seu tamanho e localização os cortes cirúrgicos podem provocar grande perda de sangue do paciente, o que pode levar à necessidade do paciente receber sangue de doadores ou plasma (a porção líquida, levemente amarelada do sangue, que pode ser separada a partir do sangue de um doador) para repor os fluídos perdidos.

Doe sangue, doe vida
Muitas pessoas gostam de ajudar ao próximo e às vezes se perguntam o que poderiam fazer para ajudar mais as pessoas da sociedade em que vivem, em particular os doentes ou mais necessitados. Um excelente caminho para isso é a doação de sangue.

Em cada doação é retirado um máximo de 450ml (pouco menos de meio litro), de uma pessoa adulta que tem, em média 5 litros de sangue. Essa mesma doação de sangue pode ajudar até 4 pessoas diferentes, porque o sangue doado pode ser fracionado ou separado em seus diferentes componentes.

Um doador saudável não sofre nenhum problema de saúde por conta da doação e seu organismo em pouco tempo repõe o sangue doado, permitindo se quiser, uma nova doação. O intervalo mínimo entre doações estabelecido pelo Ministério da Saúde do Brasil é de 2 em 2 meses, no máximo 4 vezes ao ano para homens e de 3 em 3 meses, no máximo 3 vezes ao ano, para mulheres.

Quem pode doar sangue
Pessoas saudáveis entre 16 e 69 anos, que pesem mais de 50 quilos podem doar. Entre 16 e 18 anos é necessária autorização dos pais ou responsáveis e entre 60 e 69 é preciso que pelo menos uma vez antes dos 60 anos de idade a pessoa já tenha doado.

No entanto, existem impedimentos temporários e impedimentos definitivos à doação:

Impedimentos temporários:
- Estar com gripe, resfriado e febre: aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sintomas;
- Estar no período gestacional;
- Estar no período pós-gravidez: 90 dias para parto normal e 180 dias para cesariana;
- Amamentação: até 12 meses após o parto;
- Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
- Ter feito tatuagem e/ou piercing nos últimos 6 meses (piercing em cavidade oral ou região genital impedem a doação);
- Ter passado por rxtração dentária: 72 horas;
- Ter passado por cirurgias de apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: 3 meses;
- Ter passado por cirurgias colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses;
- Ter recebido ransfusão de sangue: 1 ano;
- Vacinação: ter sido vacinado - o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina.
- Ter passado por exames/procedimentos com utilização de endoscópio nos últimos 6 meses;
- Ter sido exposto a situações de risco acrescido para infecções sexualmente transmissíveis (aguardar 12 meses após a exposição);

Impedimentos definitivos
- Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade;
- Ter evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
- Usar de drogas ilícitas injetáveis;
- Ter tido Malária

Onde e como doar
Pesquise por hemocentros em sua região. Se não encontrar com facilidade, a maioria dos hospitais, postos de saúde e unidades de atendimento podem indicar o hemocentro ou unidade de coleta de sangue mais próxima.

Entre em contato com o hemocentro mais conveniente e verifique se necessário marcar hora ou se basta o comparecimento. No comparecimento ao local de doação o candidato a ser doador deve apresentar documento original com foto expedido por órgão oficial, como carteira de Identidade, Passaporte, Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade de Profissional, Carteira Nacional de Habilitação com foto ou Certificado de Reservista.

Doar sangue é seguro, não há nenhum risco de contaminação ao doador, nos hemocentros oficiais são usados equipamentos esterilizados e descartáveis por profissionais habilitados. O procedimento todo - cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta do sangue e lanche – leva cerca a de 40 minutos.

Se você trabalhar, saiba que a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) dispõe que o empregado poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário, por um dia, a cada 12 meses, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada.

O GPOI comenta
Doar sangue é uma forma relativamente fácil e rápida de você ajudar pessoas que, com sua ajuda, podem se recuperar de, ou sobreviver à problemas muito graves. Pense nisso.

Fontes: [1] Ministério da Saúde do Brasil - Doação de Sangue: Saiba como e quem pode doar [2] ASCO – American Society of Clinical Oncology – Cancer.net - Donating Blood [3] ASCO – American Society of Clinical Oncology – Cancer.net – Anemia [4] ASCO – American Society of Clinical Oncology – Cancer.net – Bleeding Problems

©2018 GPOI. Proibida a reprodução parcial ou total sem aprovação por escrito.